Livro "O ensino escatológico nas cartas aos Tessalonicenses"


Prefácio
A escatologia, o estudo do fim dos tempos é, erroneamente, para muitos, sinônimo de medo. Figuras e símbolos fortalecem a ideia não falsa do juízo divino, porém, muitas vezes deturpadas do amor e cuidado de Deus para com o seu povo em meio à dores, perseguição e até mesmo morte. Além do mais, por se tratar de um assunto acerca das coisas que hão de acontecer, a escatologia pode favorecer as fantasias de muitos dos leitores das Escrituras Sagradas. Leitores podem tomar versículos isolados em pontos cruciais de textos tidos escatológicos e torná-los favoráveis a seu ponto de vista (e nem sempre isso é feito conscientemente). Ler e interpretar as Escrituras pautado por discernimento requer a iluminação interior do Espírito, tal como afirmava Calvino, mas também exige labor intelectual e agudeza refinada. Ambos são necessários para conter alguma fantasia inapropriada do leitor e submetê-lo à verdade de Deus. E isto é importante, pois escatologia talvez seja um dos assuntos que mais exigem equilíbrio. O professor Adriano da Silva Carvalho demonstra discernimento, labor intelectual e a devoção necessários ao que se propõe fazer nesta obra. Conforme o próprio autor salienta, a epístola aos Tessalonicenses, depois do apocalipse joanino, é onde mais se verificam bases escatológicas.O livro é uma exegese das duas epístolas do apóstolo Paulo aos Tessalonicenses, sobretudo, a segunda epístola capítulo 2 e a tão discutida perícope dos versículos 6 e 7. Profunda e agradável é a leitura de suas análises, verificáveis as características daqueles que procuram ler e interpretar um texto bíblico escatológico vigiando a própria alma quanto à sua própria fantasia e invenções humanas. O livro acentua a seriedade da segunda vinda de Cristo, ao mesmo tempo em que faz exatamente aquilo que Paulo procurou produzir em seus leitores de Tessalônica: confortar os crentes confusos e abalados acerca da parousia, corrigir-lhes os erros doutrinários escatológicos. Conforme o autor, há a necessidade de uma leitura contínua e extensa em todo o conteúdo destas cartas, caso contrário, o leitor se inclinará apenas há um aspecto da teologia paulina. O perigo é o de polarizar determinado assunto, reduzí-lo e evadir daquilo que realmente era importante para o apóstolo. O entendimento das epístolas se torna claro na leitura sequencial do livro. Adriano traça a biografia do apóstolo Paulo, situando-o em seu tempo, recorre a importantes teólogos e críticos neotestamentários arrostando-os às verdades das Escrituras. Ele faz o importante trabalho da análise dos termos escatológicos paulinos, tais como “O Dia do Senhor”, “os que dormem”, “o homem da inquidade”. Mormente, a exegese das perícopes são pontuais e nada enfadonhas àqueles que não tem o costume ou ainda não conhecem as línguas bíblicas. Ao que parece, o professor Adriano seguiu o que ele mesmo observou em Paulo nestas epístolas: o labor teológico exige igual necessidade de labor devocional; são indissociável. É implícito durante a leitura que estudar Tessalonicenses requer honestidade intelectual. Isto nos fará calar-nos quando tentados a opinar sem estudar, por exemplo, que “aquele que o detém” é o Espírito Santo. Ler este livro é ter a certeza de crescer no conhecimento bíblico e ter o desejo de continuar a entender mais sobre a escatologia nas epístolas aos Tessalonicenses. Ler a obra do amigo e professor Adriano da Silva Carvalho torna muito fácil, a mim, a tarefa de indicar a sua leitura.
Sinto-me honrado em prefaciar o seu trabalho.
Boa leitura.

ELIANDRO DA COSTA CORDEIRO
Mestre em Teologia-filosófica - Mackenzie/CPAJ -SP.
Graduação em Filosofia - Universidade Estadual de Maringá
Especialização em Filosofia - Universidade Estadual de Maringá
Linguística - ALEM
Graduação em Teologia – S.P. de Cianorte - PR.
Professor de Filosofia pelo SEED-PR e no S.P. de Cianorte - PR.
Pastor na IPRB-PR.

Clique aqui!